Sobre a plenitude.

Escrevo aqui direto do deserto da madrugada, divagando sobre descontinuidades, intermitências e outras muitas coisas que não me trarão certeza, mas aporia. Divago sobre o que devo e o que não devo fazer, escrever, por sorte não divago sobre o que devo pensar.
Escrevo com os vícios que não largo, com as coceiras que não se vão, aquela mancha que insiste em ficar quando a gente só quer ver tudo límpido. Não faz mal, mal faz calar-se. criança olhando pro horizonte
Gosto de coisas em pequenas doses, pequenos retalhos, talvez faça mais sentido assim mesmo.
Gosto de olhar as sombras no chão enquanto explodem lá no alto os fogos em multidão. Muito mais belo o belo que não pretende sê-lo.
Escrevo sobre quem não sou ainda. Que mais a gente busca, senão ser o que a gente acha que é? Quem não sou ainda também escrevo. E rio disso. É fácil entrar em labirintos que a gente mesmo ergue, difícil é colocarmos os outros neles.
Escrevo sobre a dificuldade de dizer.

08/02/2010 at 2:47 Deixe um comentário

Nós, os maus políticos!

Andei as turras com minhas ideias, agoniado pra escrever sobre política nacional. Aí fui percebendo que a “falta de assunto” era na verdade falta por fatos novos. Não me entenda mal, vejamos: Sarney, desobedecendo o STF; Lula, falando besteira; Wagner adiando a visita à megalópole coiteense; gente que comemora paralisação de obras, como se fosse realmente bom pra alguém, etc, etc e etc.Seja político, fiscalize!

Na falta destes fatos novos, acabei decidindo escrever sobre uma notícia velha, pouco noticiada. Somos nós, também, os maus políticos! Com raras exceções, não agimos como sujeitos políticos. Vejo na maioria das vezes debates acalorados, não sobre ideias novas, soluções pra problemas ou sobre como agir, enquanto civis, junto aos governos, e sim debates vazios sobre as cores das bandeiras, seus tons, matizes. Infelizmente, na maior parte do tempo: coisa pequena.

Quem de nós cobra ou fiscaliza de perto os eleitos? Quantos? Com que frequência? Quem quer saber quanto foi realmente investido no município, em educação, saúde, segurança? Quantos procuram os Conselhos Municipais, e exigem acesso às informações? Tem gente que nem lembra mais em quem votou…

O fato é que a participação do cidadão comum, é que determina a qualidade do investimento do nosso dinheiro. Se ficarmos no cangote dos cabras, querendo saber, exigindo saber, indicando onde se deve investir, sobra pouco espaço pra roubalheira e pra o mal investimento. Bons exemplos, se procurados, são vários: Majora Carter, que postei aqui no “Debater, sugerir… Agir!”; A AMARRIBO, promoveu ações que resultaram na cassação de dois prefeitos por corrupção, um em 2002, outro em 2006, baixe o livro no site deles e veja como!; ou ainda os moradores de um bairro de Bogotá, que estranhando a famosa “redução de custos” numa obra, arregaçaram as mangas!

Então bata no peito e diga: “Acorda rapaz!”.

06/11/2009 at 2:09 14 comentários

E daí?

Esse post é como uma atualização geral dos textos postados por aqui antes, mas não só isso. E vocês devem estar pensando que isso é coisa de blogueiro sem inspiração né? Pff. Na verdade sim, e não. Já tinha a ideia de fazer posts comentando a situação atual dos fatos abordados em posts antigos, mas era pra ser mais pra frente… Passado o blábláblá, aí vai:Cidadão!

O foro privilegiado, era pra ter sido votado na Câmara, segundo a Agência Câmara, dia 15/09, depois durante a semana, e depois dia 23/09… A votação não aconteceu e a Agência Câmara não tocou mais no assunto. Pra muitos esse Projeto de Lei é finado, e será se não pressionarmos de todas as maneiras pela sua votação. Aliás, se já houve campanha pela renúncia de Sarney, a iniciativa do projeto de iniciativa popular pelo candidato Ficha Limpa, vale agora começarmos a campanha pelo fim do foro privilegiado!

Quanto às ciclovias, apesar dos problemas, o Brasil mais que quadruplicou a kilometragem de 2003 pra cá. Os números ainda são tímidos, mas estamos caminhando (pena que não estamos indo de bicicleta, hahaha) pra melhorar o quadro. A má notícia é que Salvador faz feio quando o assunto é ciclovia: dados de 2008 indicavam que teríamos míseros 15km de ciclovias, todas restritas à orla… E Aracaju (sempre dando exemplo), infinitamente menos populosa, possui 80km de ciclovias!

Cê viu?!
As olimpíadas já estão fazendo algo de bom pra o Rio de Janeiro, jogando na mídia internacional a notícia da queda do helicóptero da polícia, pelos (não) muy amigos traficantes… Por que isso é bom? Porque é sensato que os governantes em todas as esferas, invistam mais em segurança, pra responder ao mundo todo que é possível realizar a Olimpíada por aqui, e com segurança.

O G1 fez um levantamento junto a dados coletados pelo MEC, e chegou a uma vergonhosa média salarial nacional de R$1527, pra os professores do ensino básico. A Bahia, ficou em 4º lugar, de baixo pra cima, com R$1136… E os professores da megalópole coiteense, quanto será que recebem pela mais nobre tarefa?!

20/10/2009 at 0:58 7 comentários

Bicicleta X Helicóptero

Uma corrida: Bicicleta X Helicóptero em São Paulo, na hora do rush. Quem vence?

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

11/10/2009 at 18:02 5 comentários

Exerça a liberdade!

Pela primeira vez me vi no corredor da falta de ideias aqui pro blog, talvez por causa da minha meta de não passar mais que sete dias sem postar, talvez porque a gente tem tantas fontes de informação, tanta quantidade de informação que às vezes dá uma pane mesmo.
Liberdade de Expressão
Resolvi então fazer um exercício de metalinguagem… A maioria de nós, não sabe o que é não poder falar o que se quer, o que se pensa. Pois recebemos nas mãos, sem dar
importância merecida às ferramentas mais democráticas: os blogs, as redes sociais, uma tv quase livre de amarras…

É bom celebrar e procurar melhorar o que temos, porque em Cuba, a blogueira Yoani Sánchez, posta no seu blog às cegas, isso mesmo, às cegas! Ela faz a postagem dos textos, mas ela mesma não tem como ver o blog online (entenda melhor: http://tinyurl.com/ya582bb). Com a limitação da liberdade de expressão, e até mesmo do acesso à internet (só pode ser utilizada em locais públicos, ou por políticos do alto escalão) a blogueira cubana paga caro pra continuar na luta pela liberdade (por enquanto só em dinheiro).

O fato é que não raro certos censores tentam calar os veículos de comunicação, como fez Sarney contra o Jornal Estado de São Paulo, o senado contra o CQC, e por aí vai. Ou melhor, não vai! Abre o olho!

05/10/2009 at 23:34 5 comentários

Debater, sugerir… Agir!

É incrível como muitos de nós conseguimos chegar a um nível de consciência a ponto de debater, criticar, pouco sugerir, e quase nunca agir pra modificar nossa realidade. Tá na hora de dar espaço pra as soluções, e mais ainda para agir dentro do nosso raio de ação: seja colocando a mão na massa, seja cobrando ou se organizando em grupos para cobrar dos políticos aquilo que deve ser feito. Deixo aqui dois vídeos que mostram que aquilo que parece impossível, parecerá cada vez menos impossível quando dermos os primeiros passos para a ação!
Quem se habilita?!

Pra quem não tem banda larga:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Pra quem tem banda larga:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Clique em “View subtitles” e escolha a legenda em Português.

29/09/2009 at 22:48 6 comentários

Dia Mundial da Inércia.

Hoje aconteceu mais uma vez a campanha do “Dia Mundial Sem Carro”, e os jornais impressos, televisivos e virtuais, relatavam em todo canto, um dia com o trânsito desgraçado de sempre.

Que futuro nós queremos?

Que futuro nós queremos?

Alguns prefeitos vão ao trabalho de ônibus, outros de bicicleta (só hoje), como se isso fosse relevante.

O fato é que nós não aprendemos a abrir mão dos luxos em favor de melhor qualidade de vida, de uma vida mais silenciosa, e até menos estressante. Somos viciados nesse troço. Nem nós aprendemos isso, nem os nossos representantes: prefeitos, governadores, presidente… O fato é que as ciclovias no Brasil possuem 2,5MIL KM de extensão contra 34MIL KM das ciclovias da Holanda! Rapaz! Vocês já viram o tamanho da Holanda? É mais ou menos do tamanho de Sergipe! Não há desculpas pra isso. Nem pra nossa falta de investimento em ferrovias, metrôs, trens urbanos, transporte fluvial, mas isso é outra estória.

Coité, (pra os leitores da Lituânia: Coité é uma megalópole da região sisaleira, cheia de gente muito boa!) é uma pequena cidade, com um orçamento provavelmente bem pequeno pra Meio Ambiente, Urbanização, Saúde Coletiva, e coisa e tal. Mas bem que a gente podia tomar uns exemplos de localidades ainda menores (Vauban, Freiburg – Alemanha: http://tinyurl.com/ml5b5v) e diminuir o uso do carro pra níveis razoáveis. Nossa pequena cidade podia dar uma guinada no transporte enquanto ainda há tempo.

E tenho um segredo a confessar “I have a dream!” (Viva Martin Luther King!), sonhei que a avenida do comércio em Coité, tinha virado uma avenida arborizada onde só pedestres e ciclistas circulavam, desde o início na praça do Mercado (que praça?) até o fim da fonte luminosa. Fazendo nascer um coração verde e limpo no centro da cidade. Fui longe né?

22/09/2009 at 23:15 10 comentários

Posts antigos


Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Agenda

agosto 2017
S T Q Q S S D
« fev    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031